top of page

Como Montar uma Carteira de Investimentos Diversificada

Aprenda a equilibrar riscos e maximizar retornos através da diversificação.


A importância da diversificação, tipos de ativos e setores a considerar.

Passos práticos para montar uma carteira equilibrada.



 

Como Montar uma Carteira de Investimentos Diversificada


Investir é uma ótima maneira de alcançar seus objetivos financeiros, seja para a aposentadoria, comprar uma casa ou simplesmente fazer seu dinheiro crescer. No entanto, o mercado financeiro pode ser volátil e imprevisível. É por isso que a diversificação é fundamental para construir uma carteira de investimentos sólida e resiliente.


Diversificar significa distribuir seu dinheiro entre diferentes tipos de ativos, setores e classes de investimento. Isso ajuda a reduzir o risco geral da sua carteira, pois não coloca todos os seus ovos na mesma cesta. Se um ativo ou setor tiver um desempenho ruim, os outros podem compensar as perdas.


Para que fique mais claro, existem dois tipos de risco de mercado, que representam a oscilação dos preços nas carteiras de investimentos. O risco não sistemático, também chamado de risco diversificável, é o risco específico de uma empresa ou setor, como por exemplo, o risco de uma empresa quebrar. Por meio da adição de mais ativos dentro do portfólio, podemos eliminar esse tipo de risco. Por outro lado, temos o risco sistemático, que é representado pelo risco de uma crise global, de uma nação entrar em colapso ou algum acontecimento que influencia diversos setores da economia.


Neste último caso, não há como ser reduzido.

Segue um gráfico que exemplifica o risco hipotético de uma carteira em função da quantidade de ativos existente nela:




 

Existem diversos tipos de ativos que você pode incluir em sua carteira de investimentos


Renda Fixa: Títulos de renda fixa são investimentos que oferecem um retorno que já é definido no momento da aplicação, como Tesouro Direto, CDBs e LCIs. Eles são considerados investimentos de baixo risco.


Renda Variável: Ações e fundos imobiliários são exemplos de investimentos de renda variável. Eles oferecem o potencial de retornos mais altos, mas também apresentam um risco maior.


Investimentos Alternativos: Criptomoedas, commodities e fundos de private equity são exemplos de investimentos alternativos. Eles podem ser uma boa opção para diversificar ainda mais sua carteira, mas é importante ter cautela, pois esses investimentos podem ser muito voláteis.


Investimentos Internacionais: Títulos de renda fixa no exterior e ações de empresas globais são formas de aumentar a diversificação, seja pela exposição ao risco de outros países, como pela moeda.


Ao diversificar sua carteira, é importante também considerar diferentes setores da economia. Isso ajuda a reduzir o risco de ficar muito exposto a um único setor, que pode ser impactado por eventos específicos.


 

Passos Práticos para Montar uma Carteira Diversificada


Defina seus objetivos financeiros: Antes de começar a investir, é importante definir seus objetivos financeiros. Isso vai te ajudar a determinar o tipo de carteira que você precisa montar.


Determine seu perfil de investidor: Você é conservador, moderado ou agressivo? Seu perfil de investidor vai te ajudar a determinar a quantidade de risco que você está disposto a assumir.


Escolha os ativos: Escolha os ativos que melhor se encaixam em seus objetivos e perfil de investidor.


Diversifique por classes de ativos, setores e emissores: Não coloque todo o seu dinheiro em um único tipo de ativo, setor ou empresa.


Acompanhe sua carteira e faça ajustes: É importante acompanhar o desempenho da sua carteira e fazer ajustes periodicamente.


Lembre-se!


  • Investir é um processo de longo prazo. Não espere ficar rico da noite para o dia.


  • Tenha paciência e disciplina.


  • Busque conhecimento e orientação profissional.

 

Arthur Costa

Assessor de Investimentos na GB.

Cursando Administração pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER).

Certificado Ancord, CPA-20 e CEA.

Comments


bottom of page