top of page

Investimentos: uma jornada histórica

Como os investimentos evoluíram ao longo dos séculos.


Desde as primeiras transações comerciais até os complexos mercados financeiros modernos, explore a história dos investimentos e como ela molda nossas estratégias hoje.



Hoje, todos estamos acostumados com a modernidade dos investimentos. Nunca tivemos, em nenhum momento da história, tanta informação com tanta facilidade. Até mesmo neste blog, quanta facilidade e conhecimento temos através da internet! Minha missão é levar você, querido leitor, para uma viagem sobre a história dos investimentos que, acredite, nos levará a tempos antigos.


Os primeiros registros de transações comerciais vêm de 3.000 a.C., na Mesopotâmia, onde as pessoas usavam commodities como grãos e metais preciosos para o comércio. O conceito de crédito também surgiu nessa época, com empréstimos sendo registrados em tábuas de argila.


   Um peso de uma mina da Mesôpotâmia do Sul


O comércio começou na Mesopotâmia pela mesma razão que começou em qualquer outro lugar: necessidade. Os mesopotâmicos tinham um excedente de grãos, argila e canas, que podiam oferecer em troca de recursos que lhes faltavam, como metais preciosos e minerais de outras regiões.


Os mercados financeiros mais estruturados começaram a surgir na Roma e na Grécia Antigas, com templos gregos funcionando como bancos e os romanos desenvolvendo formas iniciais de corporações e sociedades. Nos porões dos templos, eram guardados os tesouros e o dinheiro em espécie de Roma, e eles se envolviam em atividades bancárias, como empréstimos. Sempre ocupados por devotos, sacerdotes e patrulhados regularmente por soldados, os templos eram considerados pelos romanos abastados como um lugar seguro para guardar dinheiro.


     Pesos de Balanças Romanas


O comércio e as finanças continuaram a evoluir. Bancos começaram a se desenvolver na Itália, em cidades como Veneza e Florença. A prática de emitir letras de câmbio tornou-se comum durante a Idade Média.


A primeira instituição financeira comercial chamava-se “Banco Veneza”, estabelecida em Veneza, na Itália, em 1157, para financiar os monarcas em suas guerras. As atividades comerciais foram consolidadas no fim da Idade Média, quando a função do banqueiro também se tornou importante.


O surgimento das bolsas de valores modernas começou com a fundação da Bolsa de Antuérpia, na Bélgica, em 1531. A Holanda viu o primeiro mercado de ações formal em 1602, com a criação da Companhia Holandesa das Índias Orientais, onde teve a primeira ação comercializada em uma bolsa de valores, no período renascentista.


Nos séculos XVIII e XIX, a Revolução Industrial trouxe uma nova era de investimentos, com o surgimento de grandes corporações e a expansão das bolsas de valores, como a Bolsa de Valores de Londres (1801) e a Bolsa de Valores de Nova York (1792).


No século XX, vimos a expansão dos mercados financeiros globais, a criação de novos instrumentos financeiros (como derivativos), o surgimento de investidores institucionais (fundos de pensão, seguradoras) e o desenvolvimento da regulação financeira para proteger investidores.


Foi o período em que as coisas ficaram mais próximas do mercado financeiro que conhecemos hoje em dia. No entanto, ainda era a época do pregão no boca a boca e poucas facilidades para ingressar na bolsa.

 

Ikaro Nunes

Assessor de investimentos GB

Gestão financeira (UNICSUL-PB)

Certificado pela ANCORD e CVM, CPA-20 ANBIMA

Mais de 6 anos de experiência no mercado financeiro.



Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


zancanarovini
Jun 24

Muito legal 👏🏼

Like
bottom of page